Imagem

84.

O Fernando faz anos. 84. Sim, leram bem. Este Senhor faz 84 anos. Quem me dera a mim chegar lá com esta lucidez e capacidade de discernimento. De ensinar, de aprender, de orientar. De perguntar, de calar. De estar na fila da frente, de ‘ver a banda passar’.

O Fernando faz anos. É mais que obrigatório celebrar a vida. Agradecer todos os dias a partilha que tem connosco. Agradecer ter-nos escolhido para seus amigos, confidentes e companheiros de todas as coisas. Ser nosso amigo, também!

O Fernando faz anos. O Fernando que o país chama ‘Correia’, que tem total propriedade sobre todo o seu conhecimento, que ensinou tanta gente a gostar de futebol, que pintou tantas vezes as ondas da rádio, que se tornou a voz tão amiga e presente na casa de todos.

O Fernando faz anos. Os amigos tinham de lá estar. Mais que necessário, era importante. Por que precisamos de amizade e amor. Sempre. Mesmo aos 84 anos.

Longa vida, meu querido amigo.

Imagem

O caminho.

Aqui, por cima das nuvens, aqui onde poucos alcançam, está sol.
O sol teima em não me largar. Desde o início desta viagem. Como se se quisesse impor. Como se me quisesse lembrar que estava ali. Como que a dizer que, afinal, mesmo quando tudo está nublado, tremendamente escuro, com ‘cara de chuva’, ‘cara feia’ ou outra cara qualquer, ele está aqui.

O caminho. A verdade. A vida.

Imagem

Sempre o amor

Encontrei este balão no bolso do casaco que trago hoje. Não costumo guardar grande coisa nos bolsos mas às vezes, nos dias bons, encontro coisas assim. Nos dias melhores, encontro dinheiro (poucos, como imaginam…). Acredito profundamente nas pessoas e no amor. No que as pessoas fazem com o amor e naquilo que o amor consegue fazer para transformar as pessoas. É o amor que nos salva, sempre. O trabalho só salva em momento maus. O amor tolda, o amor amacia, o amor enche de coragem, o amor dá-nos um razão para viver. O amor do amor, o amos dos amigos, o amor dos irmãos, o amor dos pais.

Deve ter sido por isso que veio ter à minha mão. Para que não me esqueça que sim, que afinal… o amor é que nos dá vida.