Imagem

Amor ou energia?

Energia.

Aquilo que damos. Aquilo que recebemos. Aquilo que sentimos.

Acredito na energia que existe nas coisas, nos momentos, nas pessoas. Acredito que o Universo alinha o bom e o mau. Como a Ordem e o Caos, cada um no seu lugar, no sítio certo. No sítio.

Acredito que tudo chega a nós na altura certa: não há que temer os tropeços, as demoras, os desencontros, as dúvidas. Não existem quando a energia está alinhada. Não existem.

Acredito mais nas vibrações que nas ‘primeiras vistas’ e confio na sua fluidez. Na beleza do encontro, na paz da verdade. A energia não mente.

A teoria de Peter Higgs é que somos todos feitos de matéria, de luz.

E… quando duas luzes se encontram não há como esconder. É nisso que eu confio, no brilho que daí resulta.

Só nisso.

Imagem

Supervisionar

Nos últimos tempos, antes da HP voltar a atacar, assumi uma tarefa nova: a de revisora de artigos científicos.

Um trabalho muito interessante, especialmente por não ser na minha área de conhecimento, a ciência política. Que bom que é sair da zona de conforto e ganhar conhecimento, admito que nunca pensei um dia desempenhar esta tarefa. E também é bom, muito bom, perceber o que se faz de novo, o que se investiga e procura e de que forma é que isso pode alterar o trabalho de cada pessoa, que se dedica a esta vida académica. O balanço é bom, muito positivo mesmo!

Missões como esta (sim, olho para essa tarefa desta forma) são sempre ingratas. O americano Seth Godin lembra e muito bem que “Nós não somos o nosso currículum, nós somos o nosso trabalho“. E é essa ideia que tento honrar todos os dias.

 

Esta tarefa fez-me lembrar também que é melhor focar-me na minha tese e, depois, na conferência em que irei participar, em Julho, em Lisboa, na Academia Militar, a IJCIEOM- International Joint Conference on Industrial Engineering and Operations Managment. Quem quiser inscrever-se ainda tem até dia 15 da Maio para o fazer, o prazo para submeter artigos é 5 dias antes, dia 10 de Maio.

 

Imagem

5 Perguntas ao Chefe Manuel Santos

 

O chefe Manuel é o responsável pela cozinha doHotel Vila Baleira na ilha de Porto Santo. Este ano tem 600 pessoas para o jantar de passagem do ano, as mesmas que estão na unidade hoteleira desde dia 29. A logística toda obriga a uma organização tremenda porque o hotel está a funcionar todo o ano. (Mais logo mostro-vos imagens da sala de jantar… Agora ainda não posso! Partilho apenas o nascer do sol nesta ilha fantástica!)

1- O que é mais difícil para fazer está preparação de final de ano?
Tempo. Muitos clientes, os timings tem de ser feitos…. A passagem de ano tem data e hora marcadas e são coisas diferentes do resto do ano. São coisas mais elaboradas que precisam de mais tempo de preparação.

2- E o facto de Porto santo ser uma ilha dificulta tudo, não é?
Sim, a parte da logística, armazenamento tem de ser tudo pensado previamente mais ou menos 1 mês, 1 mês e meio, para ter tudo aqui a nível de matéria prima. Temos as novidades das esculturas de gelo este ano, teve de ser tudo pensado com 2 meses de antecedência para ter tudo aqui a tempo.

3- O que não pode faltar numa noite destas?
Nada. Numa noite destas não pode faltar nada. Tem de ter tudo: desde o serviço, à gastronomia, à decoração… Tudo isto faz a noite de final de ano diferente de todas as outras.

4- E números? Pessoas e quantidades de comida necessários?
A nível de staff na cozinha neste momento somos 16. No restaurante são cerca de 30. Depois há a parte das compras, da organização… No total cerca de 50/60 pessoas envolvidas neste processo. Depois, comida: peito de pato são 40 quilos, lombo de vaca à volta disso também, bacalhau um bocadinho mais, uns 50/60 quilos e leitão, também. Marisco são 30 quilos de camarão e mexilhão. Depois há uma parte importante que é da fruta e dos legumes, não é tanta quantidade mas é muito importante. É o que as pessoas comem mais.

5- E, para um chefe, é mais desafiante uma noite destas ou ter um hotel a funcionar todo o ano?
É desafiante por causa do timing que é pouco, leva-nos ao limite porque temos de estar sempre focados no que temos para fazer e não dá para relaxar. Tenho a minha equipa a trabalhar de manhã à noite, há 3 dias. Se fosse só esta noite, se fossem só os 600 jantares era mais simples mas esses clientes já estão cá desde dia 29, e é preciso pequeno almoço, almoço e jantar. Todo o tempinho que temos, temos de aproveitar para a passagem de ano.
O desafio ainda maior vai ser amanhã… O pessoal vai estar todo de rastos e amanhã é preciso fazer pequeno almoço e Brunch. Volta tudo ao início… Amanhã é que vai ser difícil porque hoje não devemos terminar antes das 3h da manhã.

Imagem

Lights out!

Não deixo de me fascinar com as imagens da NASA… Esta foi registada pelo astronauta Mark Vande Hei, a 250 milhas do planeta terra, a distância a que está na Estação Espacial Internacional.  Confesso que é também das coisas que mais me fascina quando viajo de noite: perceber a organização das cidades, a distância que há entre elas e a energia empenhada nestas regiões, através das luzes, do brilho. Volto a ser criança, colada à janela do avião.

A fotografia mostra a zona de Memphis, New Orleans, Miami, numa perspectiva brutalmente maior. Na Estação Espacial Internacional vivem e trabalham 6 pessoas. Além das tarefas de investigação e laboratório, também registam imagens do planeta e, em alguns casos (muitos, diria eu), acontece esta beleza!

Como sempre… tudo em www.nasa.gov